You are currently viewing SEQUESTRO DE ROMANO – Jalser é preso como mandante do crime
O mandado de prisão contra Jalser foi cumprido pelo delegado João Evangelista, responsável pela investigação, e o promotor Isaias Montanari Júnior com o apoio de policiais civis e do GAECO

SEQUESTRO DE ROMANO – Jalser é preso como mandante do crime

O deputado Jalser Renier (Solidariedade) foi preso preventivamente na tarde desta sexta-feira (1º de outubro) numa ação conjunta do Grupo de Ações Especiais de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e policiais civis e militares. Foram cumprir o mandado de prisão contra o parlamentar o delegado João Evangelista, responsável pela investigação, e o promotor Isaias Montanari Júnior, da 3a. Promotoria Cível. Jalser é acusado de ser o mandante do sequestro do Jornalista Romano dos Anjos, ocorrido em outubro de 2020.

A prisão preventiva foi decretada com fundamento em artigos diversos do Código Penal, incluindo o Art. 288, com redação dada pela Lei 12.850/2013, que tipifica o crime de associação criminosa. A previsão de pena para quem transgride esse dispositivo é de 1 a 3 anos de prisão. A detenção do parlamentar também foi fundamentada da Lei 9.455/97, que trata sobre crime de tortura.

Acusado de ser o mandante do sequestro de Romano dos Anjos, Jalser é acusado de determinar que policiais militares presos na Operação Pulitzer invadissem a residência, sequestrassem e torturassem o jornalista, que foi amarrado, teve os olhos vendados, foi espancado ao ponto de ter os dois braços quebrados e foi abandonado numa área de lavrado.

Durante o sequestro, os executores do crime incendiaram o carro de Romano. Daí que o parlamentar também é acusado de destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia. A pena para este tipo de crime é de um a seis meses de prisão.

Agora, a detenção de Jalser Renier terá que ser confirmada pela Assembleia Legislativa, que já foi notificada da ação que resultou no recolhimento do parlamentar à prisão. O Roraima na Rede já conseguiu apurar que existem alguns deputados em cima do muro quanto à confirmação da prisão do mandante do sequestro do jornalista da TV Imperial.

Assembleia Legislativa começa a discutir destino de Jalser

Depois da Operação Pulitzer II, que cumpriu o mandado de prisão contra o deputado Jalser Renier, acusado de ser o mandante do sequestro do jornalista Romano dos Anjos, a Assembleia Legislativa de Roraima emitiu nota informando “que até o momento não foi notificada pelo Judiciário sobre a prisão do deputado Jalser Renier, amplamente divulgada pela imprensa”.

A prisão de Jalser Renier foi efetuada em seu escritório político, localizado no bairro canarinho, e onde também mora a sua mãe. Ao receber voz e prisão, Jalser exigiu ler o mandado apresentado pelo delegado João Evangelista. Posteriormente, ao ser algemado, o parlamentar alegou inocência e disse nunca ter atentado contra a vida de ninguém.

Além de Jalser foram presos os coronéis da PM, Natanael Felipe e Granjeiro, além dos sargento Bruno Inforzato. Eles também são acusados de terem participação no sequestro de Romano dos Anjos.

A nota encaminhada aos veículos de comunicação afirma que, mesmo sem a notificação, foi convocada uma reunião extraordinária da Mesa Diretora para as 17 horas desta sexta-feira, com o objetivo de começar a discutir o destino do parlamentar. Na casa há deputados como Nilton do Sidpol que defendem a cassação do mandato de Jalser dada a gravidade das acusações que pesam contra ele.

A Mesa Diretora da ALERR diz na nota à imprensa que, logo após a reunião, a Mesa Diretora se manifestará sobre a prisão do parlamentar.

Leia mais sobre política no Blog do Luiz Valério

Luiz Valério

Jornalista, escritor, blogueiro e podcaster. Especialista em Comunicação Social e Novas Tecnologias. Profissional de Marketing Digital. Fundador e Editor-chefe do Jornal Roraisul. (Uma ousadia e aventura inesquecível com meu sempre amigo Osmar Morais).

Deixe um comentário