You are currently viewing Procon Boa Vista dá dicas para compra segura na Black Friday
A intenção é auxiliar os consumidores para aproveitar o evento sem sofrer prejuízos financeiros e aborrecimentos. Foto:SEMUC/Arquivo

Procon Boa Vista dá dicas para compra segura na Black Friday

A temporada de compras para o Natal, com promoções e descontos no comércio de Boa Vista, está chegando. É a Black Friday 2021. O evento acontecerá no dia 26 de novembro, com milhares de produtos em ofertas que podem chegar a mais de 50% de desconto, dentre eles, celulares e eletrônicos.
O Procon Boa Vista orienta os consumidores para que tenham muita cautela na Black Friday. A secretária executiva de Defesa do Consumidor do Município de Boa Vista – PROCON Boa Vista, Sabrina Tricot, esclarece que a intenção do órgão é auxiliar os consumidores com informações para que façam boas compras e aproveitem a “black friday”, seja na forma presencial ou virtual (em sites ou redes sociais), sem prejuízos financeiros e aborrecimentos.
“Há muitos casos de lojas que fazem publicidade e promoções “falsas” que induzem o consumidor ao erro ao fazê-lo comprar um produto que não necessita, por um preço nada vantajoso. Uma lista dos produtos desejados e pesquisar os preços previamente é imprescindível, antes de iniciar as compras”, disse Sabrina.
DICAS DO PROCON BOA VISTA:
Ao fazer compras pela internet, nunca utilizar computadores de acesso público. Observar a segurança da página, ao clicar no cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou rodapé da tela do computador. O endereço da loja virtual deve começar com https://.
O site deve exibir o CNPJ da empresa ou CPF da pessoa responsável, além do endereço físico da loja ou endereço eletrônico para ser contactada. A página virtual também é obrigada a disponibilizar um canal para atendimento ao consumidor, chamado Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).
Ao finalizar as compras, prefira pagar com cartão de crédito e muita atenção com sites que só aceitam receber por boleto ou transferência bancária, pois se você tiver problema com a compra, é mais difícil conseguir ressarcimento junto ao banco. Nunca informar seus dados do cartão de crédito pelas redes sociais e desconfie de lojistas que solicitam essas informações.
A secretária alerta que nas compras realizadas pela internet, o consumidor deve observar os prazos de entregas e formas de pagamentos, devido aos inúmeros golpes aplicados por pessoas e “empresas” fakes. “O consumidor deve ter cuidado com links enviados por aplicativos e e-mails, que podem ser armadilhas criadas por hackers para coletar informações e senhas pessoais dos consumidores. A dica é não abrir esses links suspeitos”, disse Sabrina.
Ao adquirir os produtos via on-line ou de forma presencial, os consumidores devem exigir sempre a nota fiscal para eventual abertura de reclamação nos Órgãos de Defesa dos Consumidores, e não deixar de verificar as condições de uso do produto e prazos de validade.
O consumidor tem direito ao arrependimento. O Art. 49, do Código de Defesa do Consumidor – CDC, estabelece o prazo de sete dias a partir do dia da compra ou recebimento do produto, para desistir da compra. O valor a ser devolvido é o valor total pago pelo consumidor, incluindo o que foi pago pelo frete.
Nas compras em lojas físicas, vale a política de troca de cada loja, que deve ser informada ao consumidor no ato da compra. Se o produto ou serviço apresentar vício ou defeito, as empresas ou fabricantes têm o prazo de 30 (trinta) dias para resolverem o problema, por meio do encaminhamento do produto para o conserto ou reparo. Conforme o CDC, se o problema não for reparado, o consumidor pode solicitar restituição da quantia paga, troca do produto por um novo ou abatimento no preço do produto que apresentou o vício ou defeito.
Outra dica importante é observar se o preço na oferta do produto é o mesmo na hora de efetuar o pagamento, seja em loja física ou pelos sites, considerando que o valor do frete pode tornar a compra inviável. O consumidor, também, deve verificar as condições oferecidas de pagamento, ou seja, se o valor da compra a pagar é à vista ou parcelado, quantidade de parcelas, e se esse parcelamento será feito pelo cartão da loja com juros.
Segundo Sabrina Tricot, o consumidor deve desconfiar de preços muito abaixo da média, pois podem ser indícios de fraude, com ofertas tentadoras enviadas por e-mail, por SMS ou anunciadas nas redes sociais, especialmente lojas desconhecidas.
A reputação da loja pode ser verificada junto aos órgãos de defesa do consumidor, como o Procon e Junta Comercial de sua localidade, e não esquecer de pesquisar rankings de reputação em sites, como o www.reclameaqui.com.br. Os comentários de outros consumidores nas redes sociais também podem servir de suporte.
O consumidor que necessitar obter mais informações poderá solicitá-las por e-mail procon@boavista.gov.rr.br , no Portal do Cidadão da Prefeitura de Boa Vista http://portalcidadao.prefeitura.boavista.br/ ou pelos telefones: (95) 98400-4997, (95) 98400-5720, (95) 98400-3101 e (95) 98400-4627, no período de 8h às 14h.
O PROCON Boa Vista fica localizado no Centro de Atendimento ao Cidadão João Firmino Neto – Terminal do Caimbé – Avenida dos Imigrantes nº 1612, bairro Buritis – 1º andar. O atendimento presencial está sendo realizado por meio de agendamento via Portal Cidadão da Prefeitura Municipal de Boa Vista.

Luiz Valério

Jornalista, escritor, blogueiro e podcaster. Especialista em Comunicação Social e Novas Tecnologias. Profissional de Marketing Digital. Fundador e Editor-chefe do Jornal Roraisul. (Uma ousadia e aventura inesquecível com meu sempre amigo Osmar Morais).

Deixe um comentário