You are currently viewing Polícia Federal em RR é proibida de divulgar informações sobre operações
O desembargador Olindo Menezes proibiu a FF em Roraima de divulgar informações sobre as operações

Polícia Federal em RR é proibida de divulgar informações sobre operações

A Superintendência da Polícia Federal em Roraima realizou duas operações no estado, sendo uma na manhã de terça-feira (2) e outra nesta quarta-feira (3 de março), mas a imprensa não obteve as informações necessárias para cobrir os dois casos de forma profissional, como sempre fez. O motivo da omissão de informações pela PF foi a proibição imposta pelo desembargador Olindo Menezes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), de que fosse repassada à imprensa quaisquer informações a respeito das ações.

A reportagem apurou que a imposição de censura à Polícia Federal aqui no estado causou grande desconforto nos agentes federais e delegados que estão destacados para exercer suas funções em Roraima, entre eles o superintende da corporação Marcos Ronki.

Os policiais ficaram numa saia justa, diante da cobrança da imprensa por informações e da impossibilidade de repassar os dados necessários sobre o cumprimento dos mandados de busca e apreensão e de prisão (se é que houve). Sabe-se que um dos alvos da operação desencadeada nesta sexta-feira foi um vereador de Alto Alegre. Não se tem mais informações a respeito.

A questão é que nenhum veículo de comunicação roraimense conseguiu noticiar as duas operações de maneira satisfatória para seus ouvintes, leitores e telespectadores porque um integrante do Judiciário radicado no Distrito Federal, que nada conhece do contexto local, interferisse na livre circulação de informação, impondo censura a uma instituição séria como a PF.

A esse respeito, a Superintendência da Polícia Federal em Roraima emitiu agora há pouco a nota que segue abaixo, na íntegra:

“Em atenção à solicitação por maiores esclarecimentos, informamos que a determinação judicial exarada pelo Tribunal Federal Regional da primeira região veda toda publicidade (rádio, jornal, televisão e internet) quanto à execução dos mandados, bem como qualquer entrevista de autoridades policiais e executores das medidas a respeito do assunto, pelo qual não haverá os esclarecimentos ordinários de praxe à imprensa”.

Leia mais sobre política no Blog do Luiz Valério

Luiz Valério

Jornalista, escritor, blogueiro e podcaster. Especialista em Comunicação Social e Novas Tecnologias. Profissional de Marketing Digital. Fundador e Editor-chefe do Jornal Roraisul. (Uma ousadia e aventura inesquecível com meu sempre amigo Osmar Morais).

Deixe um comentário