MP acusa falta de médicos no hospital de Rorainópolis
Um paciente com fratura de fêmur morreu durante remoção para Boa Vista, devido a falta de médico no Hospital de Rorainópolis

MP acusa falta de médicos no hospital de Rorainópolis

A falta de médicos no Regional Sul Ottomar de Souza Pinto, no município de Rorainópolis, a 290 km da capital, pode render multa à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e ao Governo do Estado. O Ministério Público do Estado (MPRR) requereu ao Judiciário a aplicação de multa por descumprirem liminar judicial que obriga o poder público estadual a recompor o quadro de médicos daquela unidade.

De acordo com o MP, no último dia 3 de março, a Justiça determinou o restabelecimento dos serviços de urgência e emergência em tempo integral na unidade de saúde com escala de profissionais pré-definida. Mas a Promotora de Justiça Lara Von Held Fagundes, afirma após denúncias e fiscalização do MPRR, foi constatado número insuficiente de médicos clínicos gerais no dia 07 de março.

Teria sido detectada irregularidade grave na escala de plantão do mesmo dia. “Não bastasse, conforme comprovam documentos anexos, o médico Gustavo Furtado, ortopedista, cuja escala consta seu nome, no período de 03 a 08 de março de 2021, informou que está no estado de Goiás sequer autorizando a inserção de seu nome na escala médica”, afirmou a Promotora.

Conforme a denúncia apurada pelo órgão ministerial, uma vítima de acidente com fratura de fêmur, em estado grave, precisou ser transferida para Boa Vista, no dia 7 de março, em razão da ausência de médico ortopedista. Na ocasião, o único clínico geral da escala precisou se ausentar do hospital para realizar a remoção do paciente, deixando a unidade de saúde sem clínico geral.

O paciente faleceu durante a viagem para a capital. A Promotoria de Justiça de Rorainópolis instaurou procedimento para apurar a morte do paciente durante a remoção para a capital.

O Ministério Público requer a aplicação de multa no valor de R$ 10 MIL por dia para o Secretário da Sesau e o Governo de Roraima por descumprimento da liminar judicial.  A carência de médicos para atuar na unidade hospitalar acontece desde que o contrato do Governo com a Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde (COOPEBRAS), terminou, no dia 2 de março, e ainda não houve recomposição do quadro com novos profissionais.

Envie sua sugestão de pauta para o site pelo Nosso WhatsApp

 

Luiz Valério

Jornalista, escritor, blogueiro e podcaster. Especialista em Comunicação Social e Novas Tecnologias. Profissional de Marketing Digital. Fundador e Editor-chefe do Jornal Roraisul. (Uma ousadia e aventura inesquecível com meu sempre amigo Osmar Morais).

Deixe uma resposta