Ações da prefeitura de combate ao Aedes aegypti reduzem em 57% índice de infestação em Boa Vista

You are currently viewing Ações da prefeitura de combate ao Aedes aegypti reduzem em 57% índice de infestação em Boa Vista
Foto: Giovani Oliveira

A Secretaria Municipal de Saúde apresentou o resultado do 1º Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), de 2022. Boa Vista se encontra em um quadro favorável de combate a essas endemias, pois o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti teve redução de 57%, nos imóveis positivos tendo como base o LIRAa anterior, realizado em novembro do ano passado.

O resultado classifica o município de Boa Vista em situação de médio risco, com índice de 1% para transmissibilidade de dengue, zika e chikungunya. O estudo foi feito na área urbana de Boa Vista. As coletas das larvas dos mosquitos do gênero Aedes foram feitas no período de 3 a 12 de janeiro de 2022, que compreende a semana epidemiológica 1 e 2 em 8.354 imóveis do município de Boa Vista correspondendo a 4,5% do total.

“Mesmo com essa redução significativa, os trabalhos continuam e as ações serão intensificadas. A população é nossa principal parceira nessa batalha. Então precisamos que cada um tire 10 minutos do seu tempo para verificar seus quintais. Pedimos que se atentem as orientações dos agentes de endemias que fazem as visitas domiciliares”, destacou Washington Alvescoordenador de Vigilância e Controle de Doenças Transmitidas por Vetores.

Criadouros – Os criadores onde mais foram encontradas larvas do mosquito:

·       Lixo (recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em ferros velhos),

·       Depósitos móveis (vasos/frascos, pratos, ingadeiras, bebedouros, etc.)

·       Pneus.

Bairros – Quanto aos bairros da capital, apenas um foi classificado como alto risco: o São Pedro. 18 com médio risco e 39 com baixo risco.

Ações – As equipes da prefeitura promovem diversas ações de combate ao mosquito durante todo ano. Dentre elas: atividades de controle larvário (utilizando estratégias de visita domiciliar), atividades de bloqueios com educação em saúde, eliminação de criadouros e tratamento, atividades de borrifação, monitoramento com armadilhas, notificação dos terrenos baldios, monitoramento nos pontos estratégicos, coleta de larvas, aplicação focal com larvicida e perifocal com inseticida residual em pontos estratégicos, atividade de educação e saúde nas UBS, entre outros.

Luiz Valério

Jornalista, escritor, blogueiro e podcaster. Especialista em Comunicação Social e Novas Tecnologias. Profissional de Marketing Digital. Fundador e Editor-chefe do Jornal Roraisul. (Uma ousadia e aventura inesquecível com meu sempre amigo Osmar Morais).

Deixe um comentário